quarta-feira, 13 de Fevereiro de 2008

Quem foi São Valentim?


A comemoração do Dia de São Valentim, também conhecido como Dia dos Namorados, parece ter várias explicações possíveis, conforme se baseiam na tradição cristã, romana ou pagã. No entanto, todas as teorias têm um ponto comum: São Valentim foi um sacerdote cristão e um mártir que seria morto a 14 de Fevereiro de 269 d.C.
Nessa data o Imperador Claudius II proibiu a realização de casamentos em Roma, com o objectivo de formar um grande e poderoso exército. O Imperador acreditava que se os jovens não constituissem família, se alistariam com maior facilidade.
No entanto, Valentine um bispo romano,continuou a celebrar casamentos, mesmo após esta proibição. As cerimónias eram celebradas em segredo. Claudius II viria a descobrir esta prática e Valentine foi preso e condenado à morte. Enquanto esteve preso, muitos jovens atiravam-lhe flores e bilhetes dizendo que ainda acreditavam no amor.
Conta a lenda que também Valentine viria a ser tomado pela seta do Cupido. Asterius, uma jovem cega, filha do carcereiro, conseguiu permissão do pai para visitar Valentine e os dois acabaram por se apaixonar. A força do seu amor fez com que, milagrosamente, Asterius recuperasse a visão. O bispo chegou a escrever uma carta de amor para a jovem, onde assinava "do seu Valentine", expressão ainda hoje utilizada.
Valentine viria a ser decapitado a 14 de Fevereiro de 270 d. C.
Há também quem defenda que o costume de enviar mensagens amorosas neste dia não tem qualquer ligação com o Santo, datando da Idade Média, quando se pensava que o dia 14 de Fevereiro assinalava o príncipio da época de acasalamento das aves.
Na Roma antiga, Fevereiro era o mês oficial do ínicio da Primavera e era entendido como um tempo de purificação. Dia 14 de Fevereiro era dedicado à deusa Juno, que era para os romanos, a deusa das mulheres e do casamento e no dia 15 de Fevereiro iniciava-se o festival Lupercalia, dedicado ao amor e à juventude. Na véspera eram colocados em recipientes pedaços de papel com o nome das raparigas romanas. No decorrer da festa sorteavam-se os nomes dos apaixonados, com cada rapaz a retirar um nome. Essa seria a sua namorada durante o tempo que durasse o festival. Muitas vezes estes casais apaixonavam-se e acabavam por se casar.
Em 494, o Papa Gelásio I proibiu e condenou esta festa pagã. Há quem defenda que a Igreja Católica optou por celebrar o Dia de São Valentim nesta data para cristianizar estas celebrações pagãs.
Charles, o duque de Orleães, terá sido no século XV, o primeiro a utilizar cartões de São Valentim enquanto esteve aprisionado na Torre de Londres, após a batalha de Azincourt, em 1415. Por altura do São valentim, terá enviado vários poemas e mensagens de amor à sua mulher, que se encontrava em França.
Durante o século XVII tornou-se costume os apaixonados escreverem poemas às suas almas gémeas, mas só em 1840, em Inglaterra, é que as mensagens de São Valentim passam a ser enfeitadas com fitas de tecido e papel especial, com expressões que ainda hoje nos são familiares, como "Would you be my Valentine?".

Por: Vânia Vieira